Brazil: Presidente Temer sanciona Lei nº 13.655/2018, que inclui dispositivos na Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro

Após críticas e sugestões de diversas entidades e autoridades, entre elas membros do Ministério Público e do Tribunal de Contas da União (TCU), o presidente da República Michel Temer sancionou, com oito vetos, o Projeto de Lei (PL) nº 7.448/2017, que inclui dispositivos no Decreto-lei nº 4.657/1942, mais conhecido como Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro (LINDB). A Lei nº 13.655, de 25/04/2018, decorrente do PL aprovado, foi publicada do Diário Oficial da União (DOU) na última quinta-feira (26).

A LINDB é a lei de introdução às demais leis, por conter princípios gerais sobre a aplicação das normas dos vários ramos do Direito. Esta lei trata de temas como a vigência, a validade, a eficácia, a aplicação, a interpretação e a revogação de normas no Direito brasileiro e também dispõe sobre coisa julgada e direito adquirido.

A Lei nº 13.655/2018 introduz dispositivos que visam garantir maior segurança jurídica e eficiência na criação e na aplicação do Direito público. Dentre as principais inovações da Lei, destacam-se as seguintes:

  1. Os julgadores das esferas administrativa, controladora (como dos tribunais de contas) e judicial devem detalhar mais a motivação de suas decisões, considerando as consequências práticas, jurídicas e administrativas da decisão, a necessidade e a adequação da medida imposta ou da invalidação do ato ou contrato;
  2. Em caso de decisão decretando a invalidade do ato ou contrato, tal decisão deverá também indicar as condições para a regularização do ato ou contrato, quando for o caso;
  3. Em caso de decisão com nova interpretação ou orientação sobre norma de conteúdo aberto, indeterminado, deverá ser previsto um regime de transição, quando indispensável, para que o novo dever ou condicionamento de direito seja cumprido de modo proporcional e eficiente e sem prejuízo aos interesses gerais;
  4. A revisão, nas esferas administrativa, controladora ou judicial, quanto à validade de ato ou contrato cuja produção já se houver completado levará em conta as orientações gerais da época, sendo proibido que, com base em mudança posterior de orientação geral, declarem-se inválidas situações plenamente constituídas;
  5. Prevê a utilização ampla de prévia consulta pública para a edição de atos normativos por autoridades administrativas; e
  6. As autoridades públicas devem atuar para aumentar a segurança jurídica na aplicação das normas, inclusive por meio de regulamentos, súmulas administrativas e respostas a consultas.

Antes da sanção presidencial, o PL aprovado pelo Congresso Nacional foi objeto de críticas, principalmente por conta do artigo 25, que previa que, quando necessário, o ente poderia propor ação declaratória de validade, cuja sentença faria coisa julgada com eficácia contra todos (erga omnes), e do § 1º do artigo 28, que não considerava erro grosseiro a decisão ou opinião do agente público baseada em jurisprudência ou doutrina ainda não pacificadas, mesmo que não fosse posteriormente aceita por órgãos de controle judiciais.

Segundo representantes do TCU e do Ministério Público, o artigo 25 poderia esvaziar a atuação de órgãos de fiscalização, enquanto o § 1º do artigo 28 poderia criar insegurança jurídica, pois sugeria que o administrador poderia agir com base em sua livre convicção. Tais dispositivos foram vetados pelo presidente.

A Lei nº 13.655/2018 entrou em vigor na data de sua publicação, salvo a previsão de utilização ampla de prévia consulta pública para a edição de atos normativos por autoridades públicas, que entrará em vigor em 180 dias da publicação da Lei.

Agora, os vetos presidenciais serão analisados pelo Congresso Nacional que, em sessão conjunta, decidirá pela manutenção ou derrubada.

Destaques da Última Semana

MP que alterava a Reforma Trabalhista perde a vigência sem ter sido deliberada pelo Congresso Nacional

Na última segunda-feira (23), a Medida Provisória nº 808/2017 perdeu sua vigência sem nem ao menos ter sido instalada a Comissão Mista que faria a análise inicial da MP. A MP alterava diversos pontos da Reforma Trabalhista (Lei nº 13.467/2017), sancionada em julho de 2017, mas que só passou a vigorar em novembro de 2017. Entre os pontos alterados pela MP estavam o trabalho intermitente e autônomo, a representação em local de trabalho, as condições de trabalho para grávidas e lactantes e a jornada de trabalho de 12 por 36 horas. Os parlamentares não entraram em consenso para a deliberação da MP, e o impasse impediu até mesmo que um relator fosse indicado na Comissão Mista para avaliar a matéria.

Agora, o Congresso Nacional poderá editar um decreto legislativo, a ser aprovado tanto na Câmara quanto no Senado Federal, para regulamentar os efeitos produzidos durante o período em que a MP esteve vigente.

Por outro lado, tendo sido frustrada a tentativa do governo de alterar a Reforma Trabalhista via MP, a Casa Civil estuda a edição de um decreto presidencial para regulamentar a aplicação dos dispositivos da Reforma. O decreto presidencial poderá regulamentar, tão somente, a aplicação das normas inseridas na própria Reforma Trabalhista, não podendo alterar seu texto hoje vigente. Por outro lado, o decreto legislativo poderá regulamentar apenas os efeitos produzidos pela MP enquanto esteve vigente e produziu efeitos.

Senado aprova proposição que dispõe sobre esporte eletrônico

A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado Federal aprovou, na última terça-feira, nos termos do substitutivo do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), o PLS nº 383/2017, que dispõe sobre a regulamentação da prática esportiva eletrônica. Dentre outros pontos, o texto aprovado traz o conceito de esporte eletrônico como a prática desportiva em que duas ou mais pessoas ou equipes competem em modalidade de jogo desenvolvido com recursos das tecnologias da informação e comunicação. A proposição seguirá agora para a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) para apreciação.

Destaques da Última Semana

CCJC/CD aprova PL sobre indisponibilidade de bens de investigados por improbidade que estiverem foragidos

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara aprovou, na última terça-feira (24), nos termos do parecer apresentado pelo relator, deputado Rubens Pereira Júnior (PCdoB-MA), o PL nº 6.380/2009, que altera a Lei de Improbidade Administrativa para prever a possibilidade de decretação da indisponibilidade de bens quando o investigado ou acusado estiver em local incerto. O PL já foi aprovado no Senado como PLS nº 363/2018, de autoria do então senador Expedito Júnior (PSDB/RO). O parecer do deputado Rubens Pereira Júnior na CCJC/CD sugeriu a aprovação do PL nos termos do substitutivo aprovado na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) da Câmara. O PL já foi aprovado em apreciação conclusiva pelas Comissões e, se não for interposto recurso por 1/10 dos deputados, será́ devolvido ao Senado Federal para deliberação das emendas da Câmara.

CDEICS aprova cassação da inscrição no CNPJ de empresas que façam uso direto ou indireto de trabalho escravo

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviço (CDEICS) da Câmara aprovou, na última quarta-feira (25), o PL nº 7.946/2017, de autoria do deputado Roberto de Lucena (PV/SP), que determina a cassação da inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) de empresas que façam uso direto ou indireto de trabalho escravo. O texto aprovado na CDEICS, nos termos do parecer do relator, deputado Aureo (SD-RJ), também aprovou emenda apresentada pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP), que determina que a penalidade somente será aplicada após o trânsito em julgado de sentença condenatória em última instância, garantido o exercício do contraditório e da ampla defesa. O PL deverá ser analisado, ainda, pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara.

CME aprova programa nacional de apoio à Mineração de Pequeno Porte

Na última quarta-feira, a Comissão de Minas e Energia (CME), da Câmara dos Deputados, aprovou, nos termos do parecer do relator, deputado Carlos Andrade (PHS-RR), o PL nº 2.195/2015, que institui o Programa Nacional para o Fortalecimento da Mineração de Pequeno Porte (PRONAMP), e cria o Fundo de Apoio à Mineração de Pequeno Porte (FAMP). O PRONAMP terá como objetivo fomentar as atividades dos mineradores individuais ou das empresas de mineração de pequeno porte, de caráter familiar ou com até 20 empregados.

Agora, a matéria será analisada pela Comissão s e Tributação (CFT).

AGENDA DA SEMANA

Senado Federal

Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC) 02/05/2018, às 11h

PLS nº 90/2012, que altera o Código de Defesa do Consumidor para fixar o início do prazo decadencial do direito do consumidor de reclamar pelos vícios aparentes ou de fácil constatação.

Relator: sen. Dário Berger (MDB-SC) Relatório: pela aprovação.

PLS nº 769/2015, que veda a propaganda de cigarros ou qualquer outro produto fumígeno e o uso

de aditivos que confiram sabor e aroma a estes produtos, estabelece padrão gráfico único das embalagens de produtos fumígenos e configura como infração de trânsito o ato de fumar em veículos quando houver passageiros menores de dezoito anos. Relator: sen. Cristovam Buarque (PPS-DF)
Relatório: pela aprovação, com emendas.

PLS nº 326/2017, que institui preferência na alocação de recursos federais para a conclusão das obras em andamento nos entes da federação.
Relatora: Simone Tebet (MDB-MS) pela aprovação.

Câmara dos Deputados

Plenário

02/05/2018, às 13h

PLV nº 6/2018, originário da MP nº 810/2017, que trata de incentivo fiscal para o setor de informática.
Relator: dep. Thiago Peixoto (PSD-GO) Relatório: pela aprovação, com emendas.

PLV nº 9/2018, originário da MP nº 811/2017, que autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural S.A. – Pré- Sal Petróleo S.A. (PPSA) – e dispõe sobre a política de comercialização de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos
Relator: pendente de indicação.

PLP nº 441/2017, do Senado Federal, que trata sobre os cadastros positivos de crédito e regula a responsabilidade civil dos operadores.
Relator: dep. Walter Ihoshi (PSD-SP) Relatório: pela aprovação, com substitutivo.

PL nº 1.202/2007, que disciplina a atividade de lobby.
Relatora: dep. Cristiane Brasil (PTB-RJ) Relatório: pela aprovação, com substitutivo.

Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) 02/05/2018, às 10h

PL nº 4.379/2016, que altera o Código de Defesa do Consumidor para estabelecer condições para a cobrança de tarifas de planos pós-pagos e a obrigatoriedade de reembolso de créditos não utilizados de planos pré-pagos, em caso de rescisão de contrato de prestação de serviços de telecomunicações.
Relator: dep. Roberto Alves (PRB-SP). Relatório: pela aprovação, com emenda.

PL nº 6.308/2016, que altera a Lei Geral de Telecomunicações para atualizar e ampliar os direitos dos usuários de serviços de telecomunicações.
Relator: dep. Fábio Faria (PSD-RN) Relatório: pela aprovação, com substitutivo.

Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC)

02/05/2018, às 14h30

PL nº 6.403/2009, que dispõe sobre compensação da emissão de dióxido de carbono e dá outras providências.
Relator: dep. Rodrigo de Castro (PSDB-MG) Relatório: pela aprovação.

PL nº 1.529/2015, que dispõe sobre a renovação das frotas das empresas prestadoras de serviço de locação de veículos.
Relator: dep. Efraim Filho (DEM-PB) Relatório: pela inconstitucionalidade.

PL nº 2.088/2015, que altera o Código Brasileiro de Telecomunicações para dispor sobre alterações societárias de empresas prestadoras de serviços de radiodifusão.
Relator: dep. Hiran Gonçalves (PP-RR) Relatório: pela aprovação, com substitutivo.

PDC nº 852/2017, que aprova o texto do "Protocolo de Emenda à Convenção entre a República Federativa do Brasil e a República Argentina Destinada a Evitar a Dupla Tributação e Prevenir a Evasão Fiscal em Matéria de Impostos sobre a Renda e seu Protocolo", adotado em Mendoza, em 21/07/2017.
Relator: dep. Fábio Sousa (PSDB-GO) Relatório: pela aprovação, com emenda.

Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO) 02/05/2018, às 14h

PL nº 3.154/2015, que determina que os estacionamentos de estabelecimentos comerciais tenham vigilantes, sob pena de multa ou até mesmo interdição.
Relator: dep. Lincoln Diniz Portela (PR-MG) Relatório: pela aprovação, com substitutivo.

PL nº 8.274/2017, que altera a Lei de Segurança para Estabelecimentos Financeiros para obrigar estes estabelecimentos a possuir circuito fechado de televisão que atenda aos requisitos mínimos estabelecidos pelo Departamento de Polícia Federal, devendo as imagens ser armazenadas por, pelo menos, 60 dias.
Relator: dep. Vinicius Carvalho (PRB-SP) Relatório: pela aprovação, com substitutivo.

Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF)

02/05/2018, às 10h

PL nº 2.003/2015, que altera a Lei dos Planos de Benefícios da Previdência Social para determinar que as instituições bancárias disponibilizem acesso, via autoatendimento ou internet, às informações previdenciárias de seus correntistas, contidas no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS).

Relator: dep. Danilo Forte (PSB-CE)

Relatório: pela aprovação, com emenda.

Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) 02/05/2018, às 10h

PL nº 5.100/2013, que altera a lei que dispõe sobre a manutenção da correção automática semestral dos salários para estabelecer que a atualização dos contratos de serviço passa a ser obrigatória na data- base da categoria.
Relator: dep. Jorge Côrte Real (PTB-PE) Relatório: pela aprovação.

Comissão Especial para discussão do PL nº 1.292/1995, originário do Senado Federal, que institui a Nova Lei de Licitações

03/05/2018, às 9h, no Auditório do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe

Seminário para debater o PL.

04/05/2018, às 14h, na Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul, em Campo Grande

Seminário sobre a Nova Lei de Licitações.

The content of this article is intended to provide a general guide to the subject matter. Specialist advice should be sought about your specific circumstances.

To print this article, all you need is to be registered on Mondaq.com.

Click to Login as an existing user or Register so you can print this article.

Authors
 
Some comments from our readers…
“The articles are extremely timely and highly applicable”
“I often find critical information not available elsewhere”
“As in-house counsel, Mondaq’s service is of great value”

Related Topics
 
Related Articles
 
Up-coming Events Search
Tools
Print
Font Size:
Translation
Channels
Mondaq on Twitter
 
Register for Access and our Free Biweekly Alert for
This service is completely free. Access 250,000 archived articles from 100+ countries and get a personalised email twice a week covering developments (and yes, our lawyers like to think you’ve read our Disclaimer).
 
Email Address
Company Name
Password
Confirm Password
Position
Mondaq Topics -- Select your Interests
 Accounting
 Anti-trust
 Commercial
 Compliance
 Consumer
 Criminal
 Employment
 Energy
 Environment
 Family
 Finance
 Government
 Healthcare
 Immigration
 Insolvency
 Insurance
 International
 IP
 Law Performance
 Law Practice
 Litigation
 Media & IT
 Privacy
 Real Estate
 Strategy
 Tax
 Technology
 Transport
 Wealth Mgt
Regions
Africa
Asia
Asia Pacific
Australasia
Canada
Caribbean
Europe
European Union
Latin America
Middle East
U.K.
United States
Worldwide Updates
Registration (you must scroll down to set your data preferences)

Mondaq Ltd requires you to register and provide information that personally identifies you, including your content preferences, for three primary purposes (full details of Mondaq’s use of your personal data can be found in our Privacy and Cookies Notice):

  • To allow you to personalize the Mondaq websites you are visiting to show content ("Content") relevant to your interests.
  • To enable features such as password reminder, news alerts, email a colleague, and linking from Mondaq (and its affiliate sites) to your website.
  • To produce demographic feedback for our content providers ("Contributors") who contribute Content for free for your use.

Mondaq hopes that our registered users will support us in maintaining our free to view business model by consenting to our use of your personal data as described below.

Mondaq has a "free to view" business model. Our services are paid for by Contributors in exchange for Mondaq providing them with access to information about who accesses their content. Once personal data is transferred to our Contributors they become a data controller of this personal data. They use it to measure the response that their articles are receiving, as a form of market research. They may also use it to provide Mondaq users with information about their products and services.

Details of each Contributor to which your personal data will be transferred is clearly stated within the Content that you access. For full details of how this Contributor will use your personal data, you should review the Contributor’s own Privacy Notice.

Please indicate your preference below:

Yes, I am happy to support Mondaq in maintaining its free to view business model by agreeing to allow Mondaq to share my personal data with Contributors whose Content I access
No, I do not want Mondaq to share my personal data with Contributors

Also please let us know whether you are happy to receive communications promoting products and services offered by Mondaq:

Yes, I am happy to received promotional communications from Mondaq
No, please do not send me promotional communications from Mondaq
Terms & Conditions

Mondaq.com (the Website) is owned and managed by Mondaq Ltd (Mondaq). Mondaq grants you a non-exclusive, revocable licence to access the Website and associated services, such as the Mondaq News Alerts (Services), subject to and in consideration of your compliance with the following terms and conditions of use (Terms). Your use of the Website and/or Services constitutes your agreement to the Terms. Mondaq may terminate your use of the Website and Services if you are in breach of these Terms or if Mondaq decides to terminate the licence granted hereunder for any reason whatsoever.

Use of www.mondaq.com

To Use Mondaq.com you must be: eighteen (18) years old or over; legally capable of entering into binding contracts; and not in any way prohibited by the applicable law to enter into these Terms in the jurisdiction which you are currently located.

You may use the Website as an unregistered user, however, you are required to register as a user if you wish to read the full text of the Content or to receive the Services.

You may not modify, publish, transmit, transfer or sell, reproduce, create derivative works from, distribute, perform, link, display, or in any way exploit any of the Content, in whole or in part, except as expressly permitted in these Terms or with the prior written consent of Mondaq. You may not use electronic or other means to extract details or information from the Content. Nor shall you extract information about users or Contributors in order to offer them any services or products.

In your use of the Website and/or Services you shall: comply with all applicable laws, regulations, directives and legislations which apply to your Use of the Website and/or Services in whatever country you are physically located including without limitation any and all consumer law, export control laws and regulations; provide to us true, correct and accurate information and promptly inform us in the event that any information that you have provided to us changes or becomes inaccurate; notify Mondaq immediately of any circumstances where you have reason to believe that any Intellectual Property Rights or any other rights of any third party may have been infringed; co-operate with reasonable security or other checks or requests for information made by Mondaq from time to time; and at all times be fully liable for the breach of any of these Terms by a third party using your login details to access the Website and/or Services

however, you shall not: do anything likely to impair, interfere with or damage or cause harm or distress to any persons, or the network; do anything that will infringe any Intellectual Property Rights or other rights of Mondaq or any third party; or use the Website, Services and/or Content otherwise than in accordance with these Terms; use any trade marks or service marks of Mondaq or the Contributors, or do anything which may be seen to take unfair advantage of the reputation and goodwill of Mondaq or the Contributors, or the Website, Services and/or Content.

Mondaq reserves the right, in its sole discretion, to take any action that it deems necessary and appropriate in the event it considers that there is a breach or threatened breach of the Terms.

Mondaq’s Rights and Obligations

Unless otherwise expressly set out to the contrary, nothing in these Terms shall serve to transfer from Mondaq to you, any Intellectual Property Rights owned by and/or licensed to Mondaq and all rights, title and interest in and to such Intellectual Property Rights will remain exclusively with Mondaq and/or its licensors.

Mondaq shall use its reasonable endeavours to make the Website and Services available to you at all times, but we cannot guarantee an uninterrupted and fault free service.

Mondaq reserves the right to make changes to the services and/or the Website or part thereof, from time to time, and we may add, remove, modify and/or vary any elements of features and functionalities of the Website or the services.

Mondaq also reserves the right from time to time to monitor your Use of the Website and/or services.

Disclaimer

The Content is general information only. It is not intended to constitute legal advice or seek to be the complete and comprehensive statement of the law, nor is it intended to address your specific requirements or provide advice on which reliance should be placed. Mondaq and/or its Contributors and other suppliers make no representations about the suitability of the information contained in the Content for any purpose. All Content provided "as is" without warranty of any kind. Mondaq and/or its Contributors and other suppliers hereby exclude and disclaim all representations, warranties or guarantees with regard to the Content, including all implied warranties and conditions of merchantability, fitness for a particular purpose, title and non-infringement. To the maximum extent permitted by law, Mondaq expressly excludes all representations, warranties, obligations, and liabilities arising out of or in connection with all Content. In no event shall Mondaq and/or its respective suppliers be liable for any special, indirect or consequential damages or any damages whatsoever resulting from loss of use, data or profits, whether in an action of contract, negligence or other tortious action, arising out of or in connection with the use of the Content or performance of Mondaq’s Services.

General

Mondaq may alter or amend these Terms by amending them on the Website. By continuing to Use the Services and/or the Website after such amendment, you will be deemed to have accepted any amendment to these Terms.

These Terms shall be governed by and construed in accordance with the laws of England and Wales and you irrevocably submit to the exclusive jurisdiction of the courts of England and Wales to settle any dispute which may arise out of or in connection with these Terms. If you live outside the United Kingdom, English law shall apply only to the extent that English law shall not deprive you of any legal protection accorded in accordance with the law of the place where you are habitually resident ("Local Law"). In the event English law deprives you of any legal protection which is accorded to you under Local Law, then these terms shall be governed by Local Law and any dispute or claim arising out of or in connection with these Terms shall be subject to the non-exclusive jurisdiction of the courts where you are habitually resident.

You may print and keep a copy of these Terms, which form the entire agreement between you and Mondaq and supersede any other communications or advertising in respect of the Service and/or the Website.

No delay in exercising or non-exercise by you and/or Mondaq of any of its rights under or in connection with these Terms shall operate as a waiver or release of each of your or Mondaq’s right. Rather, any such waiver or release must be specifically granted in writing signed by the party granting it.

If any part of these Terms is held unenforceable, that part shall be enforced to the maximum extent permissible so as to give effect to the intent of the parties, and the Terms shall continue in full force and effect.

Mondaq shall not incur any liability to you on account of any loss or damage resulting from any delay or failure to perform all or any part of these Terms if such delay or failure is caused, in whole or in part, by events, occurrences, or causes beyond the control of Mondaq. Such events, occurrences or causes will include, without limitation, acts of God, strikes, lockouts, server and network failure, riots, acts of war, earthquakes, fire and explosions.

By clicking Register you state you have read and agree to our Terms and Conditions