Brazil: Terceiro Setor, Cultura E Responsabilidade Social - 14 De Julho De 2015

ATENÇÃO 1 – Processo seletivo do FIES para o segundo semestre de 2015 é regulamentado pelo MEC

Em 3 de julho de 2015, o Ministério da Educação publicou no Diário oficial da União a Portaria nº 08/2015, dispondo sobre os procedimentos a serem observados pelas Instituições de Educação Superior (IES) e pelos estudantes no processo seletivo do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) referente ao segundo semestre de 2015.

As mantenedoras das IES interessadas em participar do processo seletivo do FIES referente ao segundo semestre de 2015 deverão firmar Termo de Participação no período entre 6 de julho de 2015 e 17 de julho de 2015. O procedimento para participação será disponibilizado no seguinte endereço eletrônico: http://fiesoferta.mec.gov.br/

ATENÇÃO 2 – Termina em 31/07/2015 o prazo para instituições financeiras implementarem suas políticas de responsabilidade socioambiental 

Nos termos da Resolução n° 4.327/2014, termina em 31 de julho de 2015, o prazo para que as instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil implementem suas respectivas políticas de responsabilidade socioambiental, que deverão trazer os princípios e diretrizes que nortearão suas ações de natureza socioambiental em negócios e relações com as partes interessadas. Para mais informações sobre o assunto, confira nosso memorando enviado em 5 de maio de 2014, no seguinte link.

Esfera Federal

Súmula Vinculante nº 52 pacifica o alcance da imunidade ao IPTU das entidades 

Em 23 de junho de 2015, o Supremo Tribunal Federal (STF) publicou no Diário Oficial da União o enunciado da súmula vinculante n° 52, que determina que ainda quando alugado a terceiros o imóvel pertencente às entidades de educação e de assistência social, sem fins lucrativos, bem como das demais entidades mencionadas no artigo 150, inciso VI, alínea "c", permanece imune ao IPTU, desde que (i) o valor dos aluguéis seja aplicado nas atividades para as quais tais entidades foram constituídas, (ii) as entidades proprietárias comprovem o atendimento dos requisitos estabelecidos no artigo 14 do Código Tributário Nacional. 

Note-se que o STF manteve o entendimento exarado na súmula 724 que, agora fixado em súmula vinculante, deve ser aplicado por todas as esferas da administração pública e pelo Poder Judiciário. A inobservância ou aplicação indevida da súmula vinculante acarretará a anulabilidade do ato administrativo ou a cassação da decisão judicial pelo STF mediante reclamação à referida Corte.

Publicado novo regimento interno do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais 

Em 10 de junho de 2015, foi publicado o novo Regimento Interno do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF) pelo Ministério da Fazenda, trazendo diversas alterações de natureza estrutural e procedimental. 

Com relação às inovações de natureza estrutural, vale destacar que (i) as turmas de julgamentos, antes compostas por 6 membros, passam a ser comportas por 8 membros, mantida a paridade na representatividade entre fisco e contribuintes; (ii) advogados não poderão mais atuar como conselheiros, sendo necessária a comprovação de licença do exercício da advocacia para compor o novo quadro de conselheiros; e (iii) os mandatos dos conselheiros passam a ser de 2 anos, com a possibilidade de 2 reconduções por igual período. 

Dentre as inovações de natureza procedimental, destacam-se: (a) pedidos de adiamento ou retirada de pauta deverão ser protocolados até 5 dias antes da data em que a sessão se realizaria; (b) na hipótese de múltiplos recursos fundamentados em questão de direito idêntica, o presidente de turma poderá sortear 1 processo definindo-o como paradigma, podendo as partes dos demais processos – que não forem sorteado como paradigma, apresentar sustentações orais no julgamento do recurso do processo paradigma; e (c) passa-se a admitir novas sustentações orais nos julgamentos de embargos de declaração e nos processos que retornarem em diligência.

Para mais informações sobre o Regimento Interno do CARF, confira o memorando enviado em 17 de junho de 2015 especialmente sobre o assunto, no seguinte link.

Publicado cronograma para transmissão de informações via sistema eSocial

Em 24 de junho de 2015, foi publicada no Diário Oficial da União pelo Ministério da Fazenda a Portaria n° 01/2015, estabelecendo o cronograma para implementação do eSocial com base no faturamento dos empregadores. 

O cronograma determina que os empregadores com faturamento no ano de 2014 acima de R$ 78.000.000,00 deverão realizar a transmissão de informações via eSocial a partir da competência "setembro de 2016". Os demais deverão realizar a transmissão de informações via eSocial a partir da competência "janeiro de 2017". 

Vale destacar que as informações referentes à tabela de ambientes de trabalho, comunicação de acidentes de trabalho, monitoramento da saúde do trabalhador e condições ambientais de trabalho deverão ser transmitidas apenas a partir da competência "janeiro de 2017", para empregadores com faturamento no ano de 2014 acima de R$ 78.000.000,00, e a partir da competência "julho de 2017" para os demais. 

Ministério do Trabalho e Emprego regulamenta parcerias com transferência de recursos celebradas no âmbito da Lei nº 13.019/2014 

Em 19 de junho de 2015, foi publicada no Diário Oficial da União a Portaria n° 812/2015 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), dispondo sobre a supervisão da execução e a análise da prestação de contas de (i) convênios firmados pelo MTE com órgãos ou entidades públicas estaduais, municipais e Distrito Federal, e (ii) parcerias do MTE, celebradas com entidades privadas sem fins lucrativos nos termos da Lei n° 13.019/2014, em ambos os casos, envolvendo a transferência de recursos financeiros. Além dos requisitos estabelecidos na Lei nº 13.019/2014, entidades privadas que pretendam firmar parcerias com o TEMMTE devem evidenciar sua regularidade fiscal mediante ausência de registro nos cadastros de entidades privadas sem fins lucrativos inadimplentes – (CEPIM) e no Cadastro Nacional de Empresas Inidôneas e Suspensas (CEIS). 

A Portaria n° 812/2015 entrou em vigor na data de sua publicação e suas disposições aplicam-se inclusive aos processos em tramitação no âmbito do MTE, revogando expressamente a Portaria n° 586/2008, que dispunha sobre o mesmo tema. 

Soluções de consulta dispõem sobre a apresentação da EFD-Contribuições para pessoas jurídicas imunes ou isentas

Recentemente, o Fisco se manifestou de maneira divergente em duas soluções de consulta (Solução de Consulta n° 168/2015 e n° 175/2015) que tratam da dispensa da apresentação da EFD-Contribuições por entidades imunes ou isentas do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), nos termos da Instrução Normativa n° 1.252/2012 da Receita Federal do Brasil. 

Em ambas as soluções de consulta, o Fisco confirma que entidades imunes e isentas de IRPJ possuem a obrigação legal de apresentar a EFD-Contribuições a partir do mês em que a soma dos valores mensais (i) da contribuição para o PIS/Pasep; (ii) da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social – (COFINS); e (iii) da contribuição previdenciária incidente sobre a Receita, seja superior a R$ 10.000,00, sendo a obrigação devida até o final do ano-calendário em curso. 

No entanto, na Solução de Consulta n° 168/2015, o Fisco estabelece que a contribuição para o PIS/Pasep sobre a folha de salários deverá ser escriturada na EDF-Contribuições, mesmo quando apurada de forma exclusiva, de maneira que seu valor entra no computo para a verificação do limite de dispensa para a apresentação da EFD-Contribuições, acima mencionado. Já na Solução n° 175/2015, o entendimento do Fisco é de que os valores apurados a título de PIS/Pasep sobre a folha de salários e aqueles retidos sobre os valores de serviços a ele prestados não entram no cômputo do limite de dispensa para a apresentação da EFD-Contribuições. Todavia, os valores apurados a título de PIS/Pasep referentes às operações e prestações praticadas pelo contribuinte (mesmo imune ou isento de IRRJ) entram no cômputo, pois, segundo o Fisco, apenas devem ser apuradas na EDF-Contribuições as contribuições incidentes sobre a receita.

Solução de Consulta dispõe sobre o recolhimento do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte para Organizações Sociais

Em 9 de junho de 2015, foi publicada no Diário Oficial da União a Solução de Consulta n° 121/2015 da Secretaria da Receita Federal do Brasil, Subsecretaria de Tributação e Contencioso comunicando que as Organizações Sociais (OS) devem recolher o Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (IRRF), aos cofres da União, ente competente para tal recolhimento, uma vez que as OS não compõem a Administração Pública Direta ou Indireta, afastando a aplicabilidade do artigo 158, inciso I, da Constituição Federal. 

A solução em questão decorreu de consulta realizada por entidade qualificada como OS, que firmou contrato de gestão com o poder público municipal para operacionalização da gestão e execução de ações e serviços de saúde a serem prestados por ela em um hospital regional. A organização recolhia IRRF à União, mas foi oficiada pelo município com o qual firmou o contrato de gestão para recolhimento de IRRF ao cofre Municipal, com base no artigo 158, inciso I da Constituição Federal, que determina que pertencem aos municípios o produto da arrecadação do imposto da União sobre renda e proventos de qualquer natureza, incidente na fonte, sobre rendimentos pagos, a qualquer título, por eles, suas autarquias e pelas fundações que instituírem e mantiverem. Face ao ofício em questão, a consulente indagou qual seria o ente competente para o recolhimento de tal imposto. Em resposta, o Fisco entendeu que a OS não se enquadraria no conceito de Autarquias ou Fundações, nos termos do disposto no artigo 158, inciso I, da Constituição Federal e, portanto os municípios não seriam competentes por tal arrecadação devendo a entidade, desta forma, recolher o IRRF decorrente dos respectivos contratos de gestão à União. 

Esfera Municipal

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente prorroga a vigência dos registros de entidades

Em 18 de junho de 2015, o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) publicou no Diário Oficial do Município de São Paulo a Resolução n° 108 prorrogando, por mais 6 meses, a vigência dos certificados de registro de entidades no CMDCA. 

A prorrogação em questão abrange (i) os certificados de registro já emitidos que estejam vigentes no período entre 15 de junho de 2015 e 31 de dezembro de 2015; e (ii) os registros das entidades que realizaram o protocolo de renovação antes do vencimento, até o dia 15 de junho de 2015.

Declaração de Gratuidade para Concessão/Renovação de CEBAS

Em 18 de junho de 2015, a Secretaria Municipal de Assistência Social publicou no Diário Oficial do Município de São Paulo a Portaria nº 17/2015, delegando a emissão da declaração de gratuidade às entidades beneficentes de assistência social, necessária para obtenção ou renovação de Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (CEBAS), às Supervisões de Assistência Social (SAS), representadas por seus gestores. 

A Portaria traz dois modelos de declarações a serem expedidas pelos gestores: uma para entidades inscritas no Conselho Municipal de Assistência Social de São Paulo (COMAS/SP) e outro para aquelas que tenham apenas projetos/programas/serviços inscritos naquele Conselho, replicando, assim, os termos já utilizados no anexo II da Portaria MDS n° 353/2011. 

Secretaria Municipal de Educação constitui comissão para análise de mérito educacional na área social 

Em 1° de julho de 2015, a Secretaria Municipal de Educação publicou no Diário Oficial do Município de São Paulo a Portaria nº 3.977/2015, constituindo e indicando os membros da Comissão Especial para análise de mérito educacional, na área social, das entidades que buscam a declaração de utilidade pública municipal. A comissão terá como atribuições (i) a análise da relevância social da entidade na área educacional; (ii) a verificação da pertinência dos documentos apresentados; (iii) a propositura de visitas às entidades, em caso de relevância; (iv) a emissão de parecer conclusivo sobre a solicitação da entidade; e (v) a manifestação conclusiva, em relação ao mérito educacional da entidade na área social. 

As análises realizadas pela Comissão Especial serão pautadas em critérios a serem estabelecidos pela própria Comissão Especial e fundamentados na legislação aplicável ao tema.

Decreto nº 56.223/2015 regulamenta o Domicílio Eletrônico do Cidadão Paulistano.

Em 2 de junho de 2015, foi publicado no Diário Oficial do Município de São Paulo o Decreto nº 56.223/2015, regulamentando o Domicílio Eletrônico do Cidadão Paulistano (DEC), instituído pela Lei Estadual n° 15.406/2011, que trata da comunicação eletrônica entre Secretaria Municipal de Finanças e Desenvolvimento Econômico (SF) e os contribuintes. 

A comunicação eletrônica será utilizada pela SF para (i) dar conhecimento ao contribuinte de quaisquer atos administrativos; (ii) encaminhar notificações e intimações; (iii) expedir avisos em geral, dentre outras finalidades. Pessoas jurídicas, incluindo as entidades sem fins lucrativos, deverão realizar credenciamento prévio por meio do endereço eletrônico da Prefeitura Municipal de São Paulo, nas condições e prazos a serem estabelecidos pela SF.

The content of this article is intended to provide a general guide to the subject matter. Specialist advice should be sought about your specific circumstances.

To print this article, all you need is to be registered on Mondaq.com.

Click to Login as an existing user or Register so you can print this article.

Authors
 
Some comments from our readers…
“The articles are extremely timely and highly applicable”
“I often find critical information not available elsewhere”
“As in-house counsel, Mondaq’s service is of great value”

Related Topics
 
Related Articles
 
Related Video
Up-coming Events Search
Tools
Print
Font Size:
Translation
Channels
Mondaq on Twitter
 
Register for Access and our Free Biweekly Alert for
This service is completely free. Access 250,000 archived articles from 100+ countries and get a personalised email twice a week covering developments (and yes, our lawyers like to think you’ve read our Disclaimer).
 
Email Address
Company Name
Password
Confirm Password
Position
Mondaq Topics -- Select your Interests
 Accounting
 Anti-trust
 Commercial
 Compliance
 Consumer
 Criminal
 Employment
 Energy
 Environment
 Family
 Finance
 Government
 Healthcare
 Immigration
 Insolvency
 Insurance
 International
 IP
 Law Performance
 Law Practice
 Litigation
 Media & IT
 Privacy
 Real Estate
 Strategy
 Tax
 Technology
 Transport
 Wealth Mgt
Regions
Africa
Asia
Asia Pacific
Australasia
Canada
Caribbean
Europe
European Union
Latin America
Middle East
U.K.
United States
Worldwide Updates
Registration (you must scroll down to set your data preferences)

Mondaq Ltd requires you to register and provide information that personally identifies you, including your content preferences, for three primary purposes (full details of Mondaq’s use of your personal data can be found in our Privacy and Cookies Notice):

  • To allow you to personalize the Mondaq websites you are visiting to show content ("Content") relevant to your interests.
  • To enable features such as password reminder, news alerts, email a colleague, and linking from Mondaq (and its affiliate sites) to your website.
  • To produce demographic feedback for our content providers ("Contributors") who contribute Content for free for your use.

Mondaq hopes that our registered users will support us in maintaining our free to view business model by consenting to our use of your personal data as described below.

Mondaq has a "free to view" business model. Our services are paid for by Contributors in exchange for Mondaq providing them with access to information about who accesses their content. Once personal data is transferred to our Contributors they become a data controller of this personal data. They use it to measure the response that their articles are receiving, as a form of market research. They may also use it to provide Mondaq users with information about their products and services.

Details of each Contributor to which your personal data will be transferred is clearly stated within the Content that you access. For full details of how this Contributor will use your personal data, you should review the Contributor’s own Privacy Notice.

Please indicate your preference below:

Yes, I am happy to support Mondaq in maintaining its free to view business model by agreeing to allow Mondaq to share my personal data with Contributors whose Content I access
No, I do not want Mondaq to share my personal data with Contributors

Also please let us know whether you are happy to receive communications promoting products and services offered by Mondaq:

Yes, I am happy to received promotional communications from Mondaq
No, please do not send me promotional communications from Mondaq
Terms & Conditions

Mondaq.com (the Website) is owned and managed by Mondaq Ltd (Mondaq). Mondaq grants you a non-exclusive, revocable licence to access the Website and associated services, such as the Mondaq News Alerts (Services), subject to and in consideration of your compliance with the following terms and conditions of use (Terms). Your use of the Website and/or Services constitutes your agreement to the Terms. Mondaq may terminate your use of the Website and Services if you are in breach of these Terms or if Mondaq decides to terminate the licence granted hereunder for any reason whatsoever.

Use of www.mondaq.com

To Use Mondaq.com you must be: eighteen (18) years old or over; legally capable of entering into binding contracts; and not in any way prohibited by the applicable law to enter into these Terms in the jurisdiction which you are currently located.

You may use the Website as an unregistered user, however, you are required to register as a user if you wish to read the full text of the Content or to receive the Services.

You may not modify, publish, transmit, transfer or sell, reproduce, create derivative works from, distribute, perform, link, display, or in any way exploit any of the Content, in whole or in part, except as expressly permitted in these Terms or with the prior written consent of Mondaq. You may not use electronic or other means to extract details or information from the Content. Nor shall you extract information about users or Contributors in order to offer them any services or products.

In your use of the Website and/or Services you shall: comply with all applicable laws, regulations, directives and legislations which apply to your Use of the Website and/or Services in whatever country you are physically located including without limitation any and all consumer law, export control laws and regulations; provide to us true, correct and accurate information and promptly inform us in the event that any information that you have provided to us changes or becomes inaccurate; notify Mondaq immediately of any circumstances where you have reason to believe that any Intellectual Property Rights or any other rights of any third party may have been infringed; co-operate with reasonable security or other checks or requests for information made by Mondaq from time to time; and at all times be fully liable for the breach of any of these Terms by a third party using your login details to access the Website and/or Services

however, you shall not: do anything likely to impair, interfere with or damage or cause harm or distress to any persons, or the network; do anything that will infringe any Intellectual Property Rights or other rights of Mondaq or any third party; or use the Website, Services and/or Content otherwise than in accordance with these Terms; use any trade marks or service marks of Mondaq or the Contributors, or do anything which may be seen to take unfair advantage of the reputation and goodwill of Mondaq or the Contributors, or the Website, Services and/or Content.

Mondaq reserves the right, in its sole discretion, to take any action that it deems necessary and appropriate in the event it considers that there is a breach or threatened breach of the Terms.

Mondaq’s Rights and Obligations

Unless otherwise expressly set out to the contrary, nothing in these Terms shall serve to transfer from Mondaq to you, any Intellectual Property Rights owned by and/or licensed to Mondaq and all rights, title and interest in and to such Intellectual Property Rights will remain exclusively with Mondaq and/or its licensors.

Mondaq shall use its reasonable endeavours to make the Website and Services available to you at all times, but we cannot guarantee an uninterrupted and fault free service.

Mondaq reserves the right to make changes to the services and/or the Website or part thereof, from time to time, and we may add, remove, modify and/or vary any elements of features and functionalities of the Website or the services.

Mondaq also reserves the right from time to time to monitor your Use of the Website and/or services.

Disclaimer

The Content is general information only. It is not intended to constitute legal advice or seek to be the complete and comprehensive statement of the law, nor is it intended to address your specific requirements or provide advice on which reliance should be placed. Mondaq and/or its Contributors and other suppliers make no representations about the suitability of the information contained in the Content for any purpose. All Content provided "as is" without warranty of any kind. Mondaq and/or its Contributors and other suppliers hereby exclude and disclaim all representations, warranties or guarantees with regard to the Content, including all implied warranties and conditions of merchantability, fitness for a particular purpose, title and non-infringement. To the maximum extent permitted by law, Mondaq expressly excludes all representations, warranties, obligations, and liabilities arising out of or in connection with all Content. In no event shall Mondaq and/or its respective suppliers be liable for any special, indirect or consequential damages or any damages whatsoever resulting from loss of use, data or profits, whether in an action of contract, negligence or other tortious action, arising out of or in connection with the use of the Content or performance of Mondaq’s Services.

General

Mondaq may alter or amend these Terms by amending them on the Website. By continuing to Use the Services and/or the Website after such amendment, you will be deemed to have accepted any amendment to these Terms.

These Terms shall be governed by and construed in accordance with the laws of England and Wales and you irrevocably submit to the exclusive jurisdiction of the courts of England and Wales to settle any dispute which may arise out of or in connection with these Terms. If you live outside the United Kingdom, English law shall apply only to the extent that English law shall not deprive you of any legal protection accorded in accordance with the law of the place where you are habitually resident ("Local Law"). In the event English law deprives you of any legal protection which is accorded to you under Local Law, then these terms shall be governed by Local Law and any dispute or claim arising out of or in connection with these Terms shall be subject to the non-exclusive jurisdiction of the courts where you are habitually resident.

You may print and keep a copy of these Terms, which form the entire agreement between you and Mondaq and supersede any other communications or advertising in respect of the Service and/or the Website.

No delay in exercising or non-exercise by you and/or Mondaq of any of its rights under or in connection with these Terms shall operate as a waiver or release of each of your or Mondaq’s right. Rather, any such waiver or release must be specifically granted in writing signed by the party granting it.

If any part of these Terms is held unenforceable, that part shall be enforced to the maximum extent permissible so as to give effect to the intent of the parties, and the Terms shall continue in full force and effect.

Mondaq shall not incur any liability to you on account of any loss or damage resulting from any delay or failure to perform all or any part of these Terms if such delay or failure is caused, in whole or in part, by events, occurrences, or causes beyond the control of Mondaq. Such events, occurrences or causes will include, without limitation, acts of God, strikes, lockouts, server and network failure, riots, acts of war, earthquakes, fire and explosions.

By clicking Register you state you have read and agree to our Terms and Conditions