Brazil: CVM Divulga Novas Regras Sobre Negociação, Por Companhia Aberta, De Ações De Sua Própria Emissão E Divulgação De Participações Relevantes

A Comissão de Valores Mobiliários ("CVM") divulgou, em 17 de setembro de 2015, a Instrução CVM nº 567 ("Instrução CVM 567"), que disciplina a negociação, por companhia aberta, de ações de sua própria emissão e de derivativos nelas referenciados. A nova regra revoga as Instruções CVM nos 10 e 390, que anteriormente tratavam do tema.

Na mesma data, também foi divulgada a Instrução CVM nº 568 ("Instrução CVM 568"), com vistas a harmonizar o regime de divulgação e uso de informações relativo às companhias abertas e às negociações de valores mobiliários existente às novas regras trazidas pela Instrução CVM 567 e realizar determinados aprimoramentos nas regras da Instrução CVM nº 358, de 3 de janeiro de 2002 ("Instrução CVM 358").

Instrução CVM 567 – "Nova 10"

A reforma teve por objetivo alinhar as normas da CVM às orientações internacionais sobre o tema, incluindo o tratamento de derivativos referenciados em ações, assim como incorporar as principais decisões do Colegiado da CVM aplicáveis ao tema.

As principais alterações trazidas pela nova regra são:

  • Necessidade de aprovação pela assembleia geral de acionistas de determinadas operações com ações de própria emissão da companhia, inclusive por meio de derivativos, quais sejam1:  
    • Negociação realizada fora de mercados organizados: (i) envolvendo, ainda que por meio de diversas operações isoladas, mais de 5% de espécie ou classe de ações em circulação em menos de 18 meses; (ii) a preços mais de 10% superiores, no caso de aquisição, ou mais de 10% inferiores, no caso de alienação, às cotações de mercado; ou (iii) em que a contraparte for parte relacionada à companhia, conforme definida pelas regras contábeis que tratam desse assunto; ou
    • Negociação que tiver por objetivo alterar ou preservar a composição do controle acionário ou da estrutura administrativa da sociedade
  • Dispensa de aprovação pela assembleia geral de acionistas nos casos de (i) alienação ou transferência de ações a administradores, empregados e prestadores de serviços da companhia aberta, suas coligadas ou controladas, decorrente do exercício de opções de ações no âmbito de plano de outorga de opções de ações ou de outros modelos de remuneração baseado em ações; e (ii) oferta pública de distribuição secundária de ações em tesouraria ou de valores mobiliários conversíveis ou permutáveis em ações em tesouraria;
  • Necessidade de aprovação da operação pelo conselho de administração da companhia em casos que não se enquadrem nas hipóteses listadas acima, salvo se o estatuto exigir a aprovação pela assembleia geral de acionistas2;  
  • Exigência de liquidação de negociações de ações de própria emissão da companhia no prazo máximo de 18 meses contados da respectiva aprovação societária;
  • Vedação à aquisição de ações pertencentes ao acionista controlador, bem como às aquisições realizadas em mercados organizados por preços superiores aos de mercado ou enqulanto estiver em curso oferta pública de aquisição de ações de própria emissão (OPA);
  • Verificação de "recursos disponíveis" para efetuar aquisições de ações com base nas informações mais recentes dentre as demonstrações financeiras anuais, intermediárias ou informações trimestrais – ITR3;  
  • Inclusão de derivativos com previsão de liquidação física ou financeira (e.g. total return swaps) no cômputo do limite máximo de ações próprias mantidas em tesouraria, qual seja, 10% de cada espécie ou classe de ações em circulação no mercado;4   e
  • Permissão expressa de que ações mantidas em tesouraria possam fazer jus a bonificações em ações, assim como sejam objeto de grupamentos ou desdobramentos, embora sem direitos a voto e a proventos em dinheiro de qualquer natureza5

Em qualquer caso, as negociações com ações de própria emissão sujeitam-se às demais normas da CVM que tratam de (i) criação de condições artificiais de demanda, oferta ou preço, manipulação de preço, operações fraudulentas e práticas não equitativas; (ii) vedações e condições para negociação de ações de emissão de companhia aberta na pendência de informação relevante não divulgada ao mercado; e (iii) ofertas públicas de aquisição e distribuição de ações.

A Instrução CVM 567 também detalhou a conduta esperada dos administradores, em vista de seu dever de diligência, por ocasião da apuração de "recursos disponíveis" para realização de negociação com ações de própria emissão da companhia. 

Segundo a nova regra, os administradores só podem aprovar a aquisição de ações ou, quando for o caso, propor sua aprovação pela assembleia geral, se tiverem tomado as diligências necessárias para se assegurar de que: (i) a situação financeira da companhia é compatível com a liquidação da aquisição em seu vencimento sem afetar o cumprimento das obrigações assumidas com credores nem o pagamento de dividendos obrigatórios, fixos ou mínimos; e (ii) na hipótese da existência de recursos disponíveis ter sido verificada com base em demonstrações contábeis intermediárias ou refletidas nos ITR, não há fatos previsíveis capazes de ensejar alterações significativas no montante de tais recursos ao longo do período restante do exercício social.

Por fim, a Instrução CVM 567 trouxe modificações no Formulário de Referência constante do Anexo A à Instrução da CVM nº 552, de 9 de outubro de 2014, sistematizando as informações exigidas pelos itens 19.2 e 19.3 e, em particular, incluindo a necessidade de divulgação de percentual do saldo detido em relação aos valores mobiliários em circulação da mesma classe e espécie.

Instrução CVM 568

Já a Instrução CVM 568 trouxe modificações na Instrução CVM 358 para assegurar sua consistência com as novas regras introduzidas pela Instrução CVM 567 e aperfeiçoar a disciplina de negociações de ações por parte de administradores e outras pessoas com potencial acesso a informações privilegiadas.

As principais alterações trazidas pela nova regra são:

  • Exigência de divulgação de titularidade e negociações realizadas pela companhia, controladas e coligadas envolvendo valores mobiliários de emissão da própria companhia, controladoras e controladas (nestes dois últimos casos, desde que se trate de companhias abertas), em bases mensais e de modo semelhante às operações conduzidas por administradores dessas companhias;
  • Simplificação da apuração do limite de 5% de cada espécie ou classe de ações para divulgação do comunicado de alteração de participação relevante, passando-se a considerar somente a elevação ou redução de participação, direta ou indireta, que ultrapasse os patamares de 5%, 10%, 15% e assim sucessivamente, independentemente da análise de variação entre a participação anterior e a participação posterior a uma dada negociação6;  
  • Inclusão de derivativos com previsão de liquidação física ou financeira (e.g. total return swaps) no cômputo dos patamares para divulgação do comunicado de alteração de participação relevante, observado que:
    • Ações diretamente detidas e derivativos com previsão de liquidação física devem ser considerados, em conjunto, para o cômputo dos patamares de divulgação; 
    • Ações correspondentes a derivativos com previsão de liquidação exclusivamente financeira devem ser consideradas, isoladamente, para fins de cômputo dos patamares de divulgação;
    • Não é permitida a compensação entre quantidades de ações correspondentes a posições "compradas" e "vendidas" assumidas por meio de derivativos; e
    • Estão expressamente excluídas dos cálculos acima as ações correspondentes a certificados de operações estruturadas (COE), fundos de índice de valores mobiliários (ETF) e outros instrumentos derivativos nos quais menos de 20% de seu retorno seja determinado pelo retorno das ações de emissão da companhia.
  • Permissão expressa de instituição de planos individuais de investimento, com vistas a afastar as vedações a negociação de valores mobiliários de emissão de companhia aberta na pendência de ato ou fato relevante.

As duas Instruções entraram em vigor no dia 18 de setembro de 2015, com exceção das modificações nos itens 19.2 e 19.3 do Formulário de Referência, as quais passam a vigorar somente a partir de 1º de janeiro de 2016.

O inteiro teor das Instruções pode ser obtido através dos links: Instrução CVM 567 e Instrução CVM 568.

Footnotes

1. Para mais detalhes, vide os artigos 3º e 4º da Instrução CVM 567. Em caso de aprovação pela assembleia geral de acionistas, o conselho de administração deve apresentar, no momento da respectiva convocação, uma série de informações exigidas pelo Anexo 20-B da Instrução CVM nº 481, de 7 de dezembro de 2009, conforme alterada pela Instrução CVM 567. Nos demais casos, a aprovação da operação deverá ser realizada pelo conselho de administração da companhia, exceto se o estatuto exigir a aprovação pela assembleia geral de acionistas.

2. Em caso de aprovação pelo conselho de administração, será necessária a divulgação ao mercado das informações exigidas pelo Anexo 30-XXXVI da Instrução CVM nº 480, de 7 de dezembro de 2009 ("Instrução CVM 480").

3. No caso de derivativos, o requisito de existência de recursos disponíveis se aplica somente às contratações em que se estipule a liquidação física (i.e. mediante entrega de ações).

4. De acordo com a regulamentação anterior, estavam incluídas em tal cômputo apenas as ações detidas pela própria companhia e as ações que a companhia poderia vir a adquirir mediante o exercício, por si ou por contrapartes, de opções de compra ou de venda. Assim, a nova regra trouxe uma ampliação ao incluir em tal cômputo todo e qualquer derivativo de liquidação física e financeira. Deve-se destacar, ainda, que a nova regra considera a quantidade total de ações correspondentes à exposição econômica assumida em razão de contratos derivativos ou de liquidação diferida, não sendo permitida sua compensação com eventual quantidade de ações correspondentes a derivativos que produzam efeitos econômicos inversos (Art. 8º, § 2º, inciso I, da Instrução CVM 567).

5. As ações mantidas em tesouraria devem ser desconsideradas no cômputo dos quóruns de instalação e deliberação previstos na Lei das Sociedades por Ações (Lei nº 6.404/76) e na regulamentação aplicável.

6. De acordo com o regime anterior, tal divulgação mostrava-se necessária a cada variação de 5% na participação anterior, não necessariamente coincidindo com os percentuais múltiplos de 5%. A título de exemplo, um acionista que detivesse 8% de determinada espécie de ações e, posteriormente, adquirisse mais 3% não deveria divulgar o respectivo comunicado na medida em que sua variação teria sido inferior a 5%. A partir do novo regime, a divulgação de tal negociação seria necessária dado que o patamar de 10% teria sido ultrapassado, independentemente da variação de apenas 3% na participação anterior. 

The content of this article is intended to provide a general guide to the subject matter. Specialist advice should be sought about your specific circumstances.

To print this article, all you need is to be registered on Mondaq.com.

Click to Login as an existing user or Register so you can print this article.

Authors
 
Some comments from our readers…
“The articles are extremely timely and highly applicable”
“I often find critical information not available elsewhere”
“As in-house counsel, Mondaq’s service is of great value”

Related Topics
 
Related Articles
 
Up-coming Events Search
Tools
Print
Font Size:
Translation
Channels
Mondaq on Twitter
 
Register for Access and our Free Biweekly Alert for
This service is completely free. Access 250,000 archived articles from 100+ countries and get a personalised email twice a week covering developments (and yes, our lawyers like to think you’ve read our Disclaimer).
 
Email Address
Company Name
Password
Confirm Password
Position
Mondaq Topics -- Select your Interests
 Accounting
 Anti-trust
 Commercial
 Compliance
 Consumer
 Criminal
 Employment
 Energy
 Environment
 Family
 Finance
 Government
 Healthcare
 Immigration
 Insolvency
 Insurance
 International
 IP
 Law Performance
 Law Practice
 Litigation
 Media & IT
 Privacy
 Real Estate
 Strategy
 Tax
 Technology
 Transport
 Wealth Mgt
Regions
Africa
Asia
Asia Pacific
Australasia
Canada
Caribbean
Europe
European Union
Latin America
Middle East
U.K.
United States
Worldwide Updates
Registration (you must scroll down to set your data preferences)

Mondaq Ltd requires you to register and provide information that personally identifies you, including your content preferences, for three primary purposes (full details of Mondaq’s use of your personal data can be found in our Privacy and Cookies Notice):

  • To allow you to personalize the Mondaq websites you are visiting to show content ("Content") relevant to your interests.
  • To enable features such as password reminder, news alerts, email a colleague, and linking from Mondaq (and its affiliate sites) to your website.
  • To produce demographic feedback for our content providers ("Contributors") who contribute Content for free for your use.

Mondaq hopes that our registered users will support us in maintaining our free to view business model by consenting to our use of your personal data as described below.

Mondaq has a "free to view" business model. Our services are paid for by Contributors in exchange for Mondaq providing them with access to information about who accesses their content. Once personal data is transferred to our Contributors they become a data controller of this personal data. They use it to measure the response that their articles are receiving, as a form of market research. They may also use it to provide Mondaq users with information about their products and services.

Details of each Contributor to which your personal data will be transferred is clearly stated within the Content that you access. For full details of how this Contributor will use your personal data, you should review the Contributor’s own Privacy Notice.

Please indicate your preference below:

Yes, I am happy to support Mondaq in maintaining its free to view business model by agreeing to allow Mondaq to share my personal data with Contributors whose Content I access
No, I do not want Mondaq to share my personal data with Contributors

Also please let us know whether you are happy to receive communications promoting products and services offered by Mondaq:

Yes, I am happy to received promotional communications from Mondaq
No, please do not send me promotional communications from Mondaq
Terms & Conditions

Mondaq.com (the Website) is owned and managed by Mondaq Ltd (Mondaq). Mondaq grants you a non-exclusive, revocable licence to access the Website and associated services, such as the Mondaq News Alerts (Services), subject to and in consideration of your compliance with the following terms and conditions of use (Terms). Your use of the Website and/or Services constitutes your agreement to the Terms. Mondaq may terminate your use of the Website and Services if you are in breach of these Terms or if Mondaq decides to terminate the licence granted hereunder for any reason whatsoever.

Use of www.mondaq.com

To Use Mondaq.com you must be: eighteen (18) years old or over; legally capable of entering into binding contracts; and not in any way prohibited by the applicable law to enter into these Terms in the jurisdiction which you are currently located.

You may use the Website as an unregistered user, however, you are required to register as a user if you wish to read the full text of the Content or to receive the Services.

You may not modify, publish, transmit, transfer or sell, reproduce, create derivative works from, distribute, perform, link, display, or in any way exploit any of the Content, in whole or in part, except as expressly permitted in these Terms or with the prior written consent of Mondaq. You may not use electronic or other means to extract details or information from the Content. Nor shall you extract information about users or Contributors in order to offer them any services or products.

In your use of the Website and/or Services you shall: comply with all applicable laws, regulations, directives and legislations which apply to your Use of the Website and/or Services in whatever country you are physically located including without limitation any and all consumer law, export control laws and regulations; provide to us true, correct and accurate information and promptly inform us in the event that any information that you have provided to us changes or becomes inaccurate; notify Mondaq immediately of any circumstances where you have reason to believe that any Intellectual Property Rights or any other rights of any third party may have been infringed; co-operate with reasonable security or other checks or requests for information made by Mondaq from time to time; and at all times be fully liable for the breach of any of these Terms by a third party using your login details to access the Website and/or Services

however, you shall not: do anything likely to impair, interfere with or damage or cause harm or distress to any persons, or the network; do anything that will infringe any Intellectual Property Rights or other rights of Mondaq or any third party; or use the Website, Services and/or Content otherwise than in accordance with these Terms; use any trade marks or service marks of Mondaq or the Contributors, or do anything which may be seen to take unfair advantage of the reputation and goodwill of Mondaq or the Contributors, or the Website, Services and/or Content.

Mondaq reserves the right, in its sole discretion, to take any action that it deems necessary and appropriate in the event it considers that there is a breach or threatened breach of the Terms.

Mondaq’s Rights and Obligations

Unless otherwise expressly set out to the contrary, nothing in these Terms shall serve to transfer from Mondaq to you, any Intellectual Property Rights owned by and/or licensed to Mondaq and all rights, title and interest in and to such Intellectual Property Rights will remain exclusively with Mondaq and/or its licensors.

Mondaq shall use its reasonable endeavours to make the Website and Services available to you at all times, but we cannot guarantee an uninterrupted and fault free service.

Mondaq reserves the right to make changes to the services and/or the Website or part thereof, from time to time, and we may add, remove, modify and/or vary any elements of features and functionalities of the Website or the services.

Mondaq also reserves the right from time to time to monitor your Use of the Website and/or services.

Disclaimer

The Content is general information only. It is not intended to constitute legal advice or seek to be the complete and comprehensive statement of the law, nor is it intended to address your specific requirements or provide advice on which reliance should be placed. Mondaq and/or its Contributors and other suppliers make no representations about the suitability of the information contained in the Content for any purpose. All Content provided "as is" without warranty of any kind. Mondaq and/or its Contributors and other suppliers hereby exclude and disclaim all representations, warranties or guarantees with regard to the Content, including all implied warranties and conditions of merchantability, fitness for a particular purpose, title and non-infringement. To the maximum extent permitted by law, Mondaq expressly excludes all representations, warranties, obligations, and liabilities arising out of or in connection with all Content. In no event shall Mondaq and/or its respective suppliers be liable for any special, indirect or consequential damages or any damages whatsoever resulting from loss of use, data or profits, whether in an action of contract, negligence or other tortious action, arising out of or in connection with the use of the Content or performance of Mondaq’s Services.

General

Mondaq may alter or amend these Terms by amending them on the Website. By continuing to Use the Services and/or the Website after such amendment, you will be deemed to have accepted any amendment to these Terms.

These Terms shall be governed by and construed in accordance with the laws of England and Wales and you irrevocably submit to the exclusive jurisdiction of the courts of England and Wales to settle any dispute which may arise out of or in connection with these Terms. If you live outside the United Kingdom, English law shall apply only to the extent that English law shall not deprive you of any legal protection accorded in accordance with the law of the place where you are habitually resident ("Local Law"). In the event English law deprives you of any legal protection which is accorded to you under Local Law, then these terms shall be governed by Local Law and any dispute or claim arising out of or in connection with these Terms shall be subject to the non-exclusive jurisdiction of the courts where you are habitually resident.

You may print and keep a copy of these Terms, which form the entire agreement between you and Mondaq and supersede any other communications or advertising in respect of the Service and/or the Website.

No delay in exercising or non-exercise by you and/or Mondaq of any of its rights under or in connection with these Terms shall operate as a waiver or release of each of your or Mondaq’s right. Rather, any such waiver or release must be specifically granted in writing signed by the party granting it.

If any part of these Terms is held unenforceable, that part shall be enforced to the maximum extent permissible so as to give effect to the intent of the parties, and the Terms shall continue in full force and effect.

Mondaq shall not incur any liability to you on account of any loss or damage resulting from any delay or failure to perform all or any part of these Terms if such delay or failure is caused, in whole or in part, by events, occurrences, or causes beyond the control of Mondaq. Such events, occurrences or causes will include, without limitation, acts of God, strikes, lockouts, server and network failure, riots, acts of war, earthquakes, fire and explosions.

By clicking Register you state you have read and agree to our Terms and Conditions